sexta-feira, 14 de maio de 2010

9ª Coxilha Nativista - 1989

Pesquisa e Reportagem: Rômulo Seitenfus
Fotos: Acervo Coxilha Nativista

A primeira noite da 9ª Coxilha iniciou com a apresentação das 13 primeiras músicas concorrentes num total de 26.
O ano em que o Prefeito Municipal era Fúlvio Berwanger e o Secretário de Turismo, Lídio Shoroeder. A Coordenadoria Executiva estava representada por Wolnei Santos Marchioro, Waldomiro Castilho e José Aldomar de Castro. O Coordenador de Infraestrutura foi Nilo Araújo. A Coordenação Artística era de Nelson Rubert.
Os shows de intervalo foram apresentados pelos grupos “Os Gaúchos” e os “Bombachudos”, ambos da capital, e o cantor Paulo Silva.
O público lotou o ginásio na primeira noite mas, o nível musical não agradou. Das 13 composições apresentadas, apenas tres conquistaram aplausos calorosos do público. Como já era esperado, o grande número de milongas provocou um certo cansaço para a plateia. Quanto ao nível musical também houveram reclamações. O entusiasmo que parecia surgir com a presença de grandes intérpretes como João de Almeida Neto, Léo Almeida, Daniel Torres, Eraci Rocha, entre outros, morria nos primeiros versos. A maioria do público achou que o nível deixou muito a desejar, saindo descontentes. Eles reclamavam a volta às raízes da Coxilha, com maior número de ritmos como bugio e chamamé. Em contrapartida, houveram pessoas que mostraram-se satisfeitas com o evento, argumentando que o nível em relação ao ano anterior mostrou-se superior. Muita gente reclamou da qualidade do som no Ginásio Municipal que, por defeitos técnicos, prejudicou algumas interpretações. Os shows de Paulo Silva e os grupos “Os Gaúchos” e “Os Bombachudos”, também não conseguiram arrancar grandes aplausos do público.
Na segunda noite, foram escolhidas as doze finalistas do festival para compor o disco. As composições subiram novamente ao palco para serem reapresentadas ao público.
A terceira noite, a finalíssima da Coxilha naquele ano, era grande porque pela primeira vez em nove anos, as concorrentes foram escolhidas entre as 26 e não em cada noite, evitando assim que as músicas de qualidade fiquem fora do disco e dos primeiros lugares. Os shows de intervalo foram animados pelo famoso Corpo Stávio da Escola Municipal de Danças Nativas da Superintendência de Possadas, Argentina. A apresentação se dividiu em duas partes. A primeira, show de danças nativas e a segunda com o Grupo “Marangatu”. A segunda eliminatória da 9ª Coxilha Nativista, repetiu o sucesso em público. O nível musical melhorou, mas não atingiu os índices de festivais anteriores como a 6ª e 7ª edições, que apresentava um público definido quanto as músicas. Duas composições foram aplaudidas. Águas de Dentro e Bugio Proletário. Os shows de intervalo, que sempre causaram expectativa, desta vez não agradaram.
Na última noite, foram apresentadas as 12 músicas que fazem parte do disco da 9ª Coxilha.
“Águas de Dentro” vence o festival daquele ano.

Música Vencedora da 9ª Coxilha Nativista – 1989

Águas de Dentro – Delcio Tavares
(José F Gonzales, Talo Pereyra e Luiz Bastos)

Os rios que carrego
Tem águas vermelhas
Mais rubras que as águas
no alto Uruguai

São águas paridas
Na fonte da vida
Vertentes perdidas
Na história dos pais

Nas águas de dentro
No rio das funduras
Navegam sementes
Plantadas em nós

São águas maduras
As águas vermelhas
Os veios antigos
Que vem dos avós

As águas de dentro
São águas de mim
Farão corredeira
Além do meu tempo
Depois do meu fim

As águas de herança
Dos rios que carrego
Vermelhas da ânsia
De antigos caudais

Tem força de braço
No corte do relho
E remanso sereno
Na luz de ancestrais

Os rios que carrego
Farão descendência
Somando as memórias
Trazidas de mim

E as águas de dentro
Serão corredeiras
Nas veias dos filhos
Depois do meu fim

O Disco



LADO A

1. Águas de Dentro – Delcio Tavares
(José F Gonzales, Talo Pereyra e Luiz Bastos)

2. Ronda Redonda – João Almeida Netto
(Tadeu Martins e João Almeida Netto)

3. Nossas Mãos – Leo Almeida
(José Gaspar Machado e Lênin Nuñes)

4. Reflexões de Um Cantador – Ivo Fraga
(Dilan Camargo e Sérgio Rojas)

5. Pra Machucar a Saudade – Leo Almeida
(Jorge Nicola Prado e Juliano Trindade)

6. Homem Cavalo – Raul Quiroga
(Dirceu Abrianos)

LADO B

1. Bugio do Proletário – Ivonir Machado e Garotos de Ouro
(Helena Fontana e José Alves Camargo)

2. Bibiano no Porto – Talo Pereyra
(Vaine Darde e Talo Pereyra)

3. Mala nos Tentos – João de Almeida Netto
(Gaspar Machado e Osmar Carvalho)

4. Ginete Sem Razão – Leo Almeida
(Orlando Jardim Fonseca)

5. Milonga da Sobrevivência – Leandro Cachoeira
(Sergio Nape e Leandro Cachoeira)

6. Ronda Noturna – Miguel Marques
(Jaime Brume Carlos, Nenito Sarturi e Sabani F. Souza)

PREMIAÇÃO

1° Lugar: Águas de Dentro (Troféu Erico Verissimo)
2° Lugar: Nossas Mãos (Troféu Ana Terra)
3° Lugar: Bibiana do Porto (Troféu Bibiana)

Música Mais Popular: Bugiu do Proletário (Troféu Capitão Rodrigo)
Melhor Instrumentalista: Antonio Rocha
Melhor Intérprete: Delcio Tavares
Melhor Bugiu: Bugiu do Proletário
Melhor Chote: Crioulo do Bororé
Melhor Vaneira: Velório do Chico Lua
Melhor Letra: Nossas Mãos

2 comentários:

  1. eu amava a coxilha e aínda amo,me lembra ÉRICO Verissimo,Panelinha,gauderiadas...

    ResponderExcluir